Mimos e Achados [agosto]

Eita que acabou esse agosto eteeerno! Venho fazendo sempre no final do mês um post com os achados e mimos que rolaram por aqui, que geralmente aparecem ao longo do mês no meu instagram e agora também no snapchat (@annacreyssa). E estes foram os mimos e achados do mês passado:


Este mês teve bazar do VID Estudio Criativo no Bazar Clube das PinUps, e sempre que a gente expõe junto com outras lojinhas, eu acabo comprando alguma coisa, e dessa vez meu achado foi esse boneco de madeira, que veio com casaco de pele e tudo, todo pimposo, por apenas 10 reais *~*


Ainda nessa categoria de achados de segunda mão, eu ganhei da minha miga Flávia uma carteira / porta tablet em forma de envelope, numa cor que eu adorei, que ela garimpou em um bazar. Ela ainda me deu essa carteira liiiinda com um coelho, meio Alice, adorei!



No começo do mês, a gente foi para SP (fiz post sobre este rolê aqui) e comprei um shortinho vermelho de cintura alta da Luiza Pannunzio, que eu paquerava há muito tempo, e estava na promoção, fiquei super feliz:


Abriu uma Ikesaki aqui em Campinas, eu fui lá com a Mércia pra conhecer e fiquei morrendo de vontade de comprar um monte de coisas. Achei a loja com uma variedade muito boa de produtos de tintura, coisas que eu não achava em outras lojas do centro da cidade e acabava comprando pela internet. Voltei agora no final de agosto e como eu tava a fim de pintar o cabelo em casa, acabei comprando alguns acessórios bonitinhos e baratinhos:


Essa coisinha vermelha é um protetor de orelhas! Eu comprei achando que seria útil para pintar, mas acho que é mais para quando você está usando coisas quentes, como secador e babyliss. Com esse cabelo novo mais curto, se abriu um mundo de possibilidades e eu espero que elas sejam úteis quando eu me aventurar numa escova. Por enquanto, os borrifadores tem sido úteis para dar uma bagunçada com leave in e fazer uma pseudo fitagem.

Chegou pelo correio o livro da Rafa Cappai, "Criativo Empreendedor, sim senhor!", livro lindooo e cheio de insights, merece uma resenha bonitinha, porque é um livro muito legal que tem me ajudado muito na minha jornada empreendedora. 


Andando pelas ruas de Campinas, eu achei uma lojinha super descolada perto do Centro de Convivência, a Dixie, que eu já tinha visto mas nunca tinha entrado, e sabe quando você gosta de tuudo na loja ? Tinha vestidos muito lindos de mocinha, camisetas com estampas muito legais, e muitos colarzinhos de pingente fofos. Acabei comprando um de aviãozinho, não teve como:


Também de bijuteria, em outra andança com a Mércia, paramos numa promoção da Emme e eu me comprei estes brincos e esta pulseira - estou numa vibe de pulseiras.


Eu adoro andar pelo centro da cidade, fazia tempo que eu não ia a pé para o centro, e como neste mês eu bati o carro (eita agosto), estou fazendo muito mais coisas a pé, o que me leva a encontrar mais papelarias, lojinhas e várias coisinhas legais. Numa dessas andanças eu me joguei na papelaria e comprei várias folhas de canson coloridas (estas que estão fazendo fundo em algumas fotos) e também estes porta cartões, para tentar colocar alguma ordem no tanto de cartões que eu guardo. É um set com 3 porta cartões da Yes, que saiu por volta de R$ 8, achei super baratinho. 


E por último, mais um mimo de papelaria, estes caderninhos eu ganhei do marido, que comprou numa loja online uns cadernos nerds muito legais, depois vou fazer um post sobre. ♥ Brigada moooor ♥


E vocês, como foram de agosto ?
Que venha setembro ♥

Séries que curti em Agosto ♥

Olha só, tempo recorde para outro post sobre séries, consegui ver várias em agosto, e são séries que não vi muita gente comentando por aí - pelo menos no meu feed blogayro - então acho que vai ser legal compartilhar. Bora lá então!


Club de Cuervos
Primeira produção do NetFlix em espanhol, essa série mexicana é sobre o mundo do futebol, mas não se engane: não é só para os entendidos. Quando li a sinopse, demorei para querer ver, fiquei de mimimi "Ai ai futebol que chato mimimi não quero ver agora". Eu não podia estar mais redondamente enganada. Achei a série muito muito boa, de ficar batendo a mão e dando risada, de chorar e torcer pelo time, sem entender nadica de futebol. Os atores são muito bons, os diálogos são ágeis e divertidos, e deu até para entender um pouco mais de futebol - ou do que estão fazendo com ele aqui no Brasil, transformando nessa vibe ostentação, que alimenta egos e publicidades milionárias. 

A historia da série é muito simples. Em Nuevo Toledo, uma pequena cidade do México, morre o dono do Los Cuervos, deixando o clube como herança para seus dois filhos. O filho é um idiota narcisista que não entende nada de futebol e a filha ama o time, mas não mede escrúpulos para tentar ser a presidente, e ambos acabam prejudicando a equipe muitas vezes. É muito legal que a série passa por todo tipo de relação e situação possível de um jeito divertido e com uma pontadinha de crítica - machismo, ostentação, mídia, manipulação de poder, etc, etc. Recomendo muito!



Wet Hot American Summer - First Day of Camp
Mais uma produção do NetFlix. Mais uma série de chorar de rir - é besta demais, e por isso é tão legal, zoeira, zoeira e mais zoeira, sem limites. E o lindo do Paul Rudd pagando de Bad Boy. E a Amy Poehler sendo a típica "garota do teatro" (me reconheci, hahaha). Uma trilha anos de rock anos 80. Tudo embrulhado numa vibe filme de acampamento da sessão da tarde. Precisa de mais algum motivo ? Ah, tem o Bradley Cooper também.



A série é uma prequel do filme de 2001, o também hilário "Wet Hot American Summer", que se passa no último dia do acampamento, enquanto a série se passa durante o primeiro dia. Se em 2001 os atores já eram bem mais velhos que os personagens - adolescentes de 17 anos - imagine em 2015, e é tão rídiculo que fica engraçado. E gente, eu odeio comédia besteirol - não aguento ver 30 segundos daqueles "todo mundo em pânico", mas esta série é de um humor tão non sense que não pude resistir, não é aquele besteirol sem graça e forçadão, sabe ? Pra mim, lembrou um pouco o humor de Arrested Development. 


impossível não ficar com a música na cabeça

True Detective
(pra não dizer que eu só indico besteirol netflix, aqui um drama policial da HBO)




Não sou muito fã de séries super pesadas - vide Breaking Bad, que não aguentei ver os três primeiros capítulos, mas True Detective me ganha pelo enredo e pela trilha sonora animal. A segunda temporada acabou em agosto, e embora a primeira tenha sido um pouco mais legal, esta também cumpriu seu papel, com Collin Farrel e Rachel McAdams como policiais cheios de segredos e Vince Vaughn como um gangster meio furado. Os produtores desta série - e protagonistas da primeira temporada - são Woody Harrelson e Matthew McConaughey, então fica um pouco cruel comparar as duas temporadas. 

A série mostra uma investigação cheia de percalços, corrupção na polícia, drama e afins. O interessante não é a resolução do suspense, mas como as relações vão se construindo entre os personagens. A abertura é sensacional, e as duas temporadas tem uma sacada "geográfica" de usar muito bem o cenário escolhido para fazer parte do enredo (no caso, o interior da California):


E vocês, conheciam algumas destas séries ?
Quais suas favoritas de agosto?


Como construir seu estilo pessoal ?

Tenho lido e pensado muito sobre a construção de um estilo pessoal. Na minha busca por implementar o tal do armário cápsula, eu descobri que antes de definir uma seleção de peças, eu ia ter que pensar melhor sobre quais peças me deixam feliz de verdade. Para completar, estou vivendo um momento de re-construção da minha identidade - tudo que construí como "eu mesma" desmoronou nos últimos tempos. Um pedaço de mim sabia que eu estava falseando aquelas coisas, mas eu insistia mesmo assim. E olhando para as roupas que eu tinha, isso parece gritar mais ainda.

Esse processo vem acontecendo meio desde o início do ano, e de lá para cá eu até que consegui desapegar de muita coisa, e comprar algumas poucas peças que acho que tem mais a ver comigo agora. Vários posts tem me ajudado a pensar sobre o assunto, e esta série de posts no La Vestuarista, "Desenvolvendo estilo", me deu vontade de deixar este meu processo mais consciente e visual. Engraçado porque é o tipo de coisa que eu faço no meu cotidiano profissional de figurino - pesquisa, análise, escolha de cores - mas nunca parei para fazer para mim mesma. 

Seguindo os passos descritos pela Lígia, eu fui observar meu painel de estilo do Pinterest, e listei/selecionei algumas características que me fazem gostar daqueles looks, algumas são elementos já presentes nas minhas roupas, outras ainda são só desejo:

  • Estampas criativas, delicadas e/ou divertidas
  • Cores sólidas
  • Podrinho Urbano - cinza e tecidos com textura gastinha
  • Silhueta de pin up ou ladylike
  • Glam Rock - couro!
  • Complexo de drag: Dourado ou paetê
  • Cabelo bagunçadinho
  • Make de bonita
  • Batom de cor marcante

No próximo passo, a dificuldade aumenta e você tem que criar 3 mood boards: um de looks inspiradores, outro para detalhes, acessórios, materiais, e o terceiro para cabelo e maquiagem. Detalhe: cada painel deve conter só 6 imagens, e aqui você realmente vai precisar da sua capacidade de síntese e colocar só o que gosta mesmo. Para você ter uma ideia, eu tinha umas 20 imagens salvas parar resumir em cada moodboard!


O legal foi que percebi que consegui transformar algumas destas referências em escolhas de compra - comprei um shorts vermelho de cintura alta, por exemplo. Mais mesmo pinando bastante saia lápis, todas as últimas saias que comprei são modelo evasê, então ainda rola uma resistência / medo de tentar. 


Sobre os materiais e detalhes, eu vejo que a distância entre o que eu gostaria de usar e o que tem no meu armário é mais gritante. Eu queria muito materiais mais finos, mais sofisticados, mais "de mocinha", sabe ? Mas sofro para adequar este desejo ao meu orçamento.


E por último, cabelo e make! Acabei de passar por uma mudança capilar, se você me acompanha no instagram já viu meu novo cabelinho, cortei mais da metade, em breve conto e mostro tudo por aqui, ainda quero mexer na cor. Uma das minhas vontades era poder usar o cabelo mais bagunçadinho sem ficar com muita cara de doida, o que acabava acontecendo com o meu cabelo enorme sem pentear. Outra coisa é que ultimamente tenho sempre arrematado o look com algum batom, não só o vermelho, mais tenho me divertido com tons mais fechados de vinho e roxo, e às vezes arrisco até algo mais pro rosa.

É legal perceber que já comecei a implementar um pouco destas referências na vida, mas que quando você coloca tudo organizado visualmente, tudo fica mais claro - e mais fácil. Tanto para olhar para o que você tem com mais amor ou mais desapego; quanto para fazer compras mais conscientes.

Gostaram deste exercício de estilo ?

[ideias de vestir] Roupa pra emprestar!

Quando eu fui viajar para a Argentina agora em julho, me dei conta que não tinha um casaco de frio adequado. O tipo de item que você tem poucas chances de usar no inverno brasileiro, então pensei em pedir emprestado prazamiga, mas já tava meio em cima da hora, e acabei não conseguindo buscar com uma amiga que ia emprestar. Acabei comprando um casaco por lá, no primeiro dia, tremendo de frio com minhas roupas de inverno paulista - nem consegui pensar direito no modelo, foi meio "moça, me dá esse casaco AGORA, por dios chica!". Enfim - se eu tivesse me planejado melhor e feito o pedido pras amigas antes, com tempo hábil para ir à casa delas, experimentar, propor uma contrapartida amiga, por exemplo, pagar o aluguel em alfajores e bocaditos; eu não teria feito esta compra meio fora da minha lista.

uma compra que eu poderia ter evitado

Quando eu era mais nova ou morava em república, rolava todo um intercâmbio de roupas entre as moradoras com tamanhos parecidos (tempos mais magros, tanto de grana quanto de pneuzinhos costais). Pra mim, era meio uma sensação mágica poder emprestar coisas das amigas, parecia que as possibilidades ficavam infinitas!

algumas peças históricas das amigas

Embora muito comum em nossas práticas cotidianas, isso de emprestar roupa ainda não se estabeleceu como alternativa ao consumo de moda. Temos visto algumas iniciativas gringas nesse sentido - como as bibliotecas de roupa citadas neste artigo do Modefica:


A Kleiderei é de Hamburgo, na Alemanha, e tem uma curadoria de peças incríveis. O site é todo em alemão, então não dá para descobrir muita coisa sobre o funcionamento.


E a Lena, em Amsterdã, tem um sistema de pontuação das peças para poder organizar os valores, de acordo com a elaboração, qualidade e informação de moda da peça. A logistica delas é bem interessante, com planos ou assinaturas por mês que te dão direito a certo número de pontos que você pode gastar como quiser. 

E no Brasil ? Pra gente, isso de alugar roupa ainda é muito restrito à roupa de festa, geralmente roupas de um gosto um pouco duvidoso. Até conheço alguns brechós em São Paulo que alugam roupas e acervo de época para figurino / tv / cinema / publicidade, mas não tinha visto ninguém usar este conceito para roupas do dia a dia - até descobrir as meninas do Lucid Bag no instagram há algum tempo atrás. 

A Lucid Bag é uma iniciativa muito bacana, em que você paga um valor e monta sua própria sacola de peças a partir do acervo delas, que pra mim é um dos pontos mais positivos, porque as peças são muito gracinha. Não sei como é a questão de tamanho, mas vejo pelo instagram que elas estão sempre adicionando novas colaboradoras, meninas que colocam peças à disposição do acervo. 

Como funciona ? Minha maior dúvida sobre as bibliotecas de roupa é a questão da logística, como você pega, devolve e paga por este tipo de serviço ? No site, é bem explicadinho o funcionamento: diferente da Lena, de Amsterdã, com seus planos por pontos, aqui você escolhe uma opção de Lucid Bag com direito a 5 peças de moda e design para "levar para passear, se apaixonar, tirar fotos e chamar de suas" por 10 dias. As meninas cuidam do frete de ida e o de volta fica a combinar. As roupas podem ser devolvidas exatamente como foram enviadas, não há necessidade de lavar para entregar pois a lavanderia também é feita de forma especial e sustentável (mais amor ainda!). As peças devem ser devolvidas em perfeito estado, como foram entregues, claro, como você  cuidaria de uma peça sua. 


Quando eu for a SP para ficar por mais tempo, pretendo experimentar o serviço delas e conto por aqui. No interior paulista, não conheço nenhum iniciativa parecida, mas conversando com algumas amigas, queremos fazer mais uso desta prática de empréstimo entre a gente mesmo. Acho que é uma boa alternativa para aquelas peças que não te servem ou não tem mais a ver com você, mas rola apego forte demais para conseguir vender ou doar. E principalmente para roupas de viagem e roupa de festa, aquele tipo de peça que você usa tão pouco durante o ano, mas que odeia repetir porque sai com o mesmo vestido em todas as festas .... Bora emprestar e colocar nossas peças à disposição das amigas!

E você, já conhecia alguma destas inciativas ou tem alguma para indicar ?
Costuma emprestar roupa entre as amigas ?