terça-feira, setembro 30, 2014

Aquilo que te faz ser quem se é {Rotaroots / Projeto fotográfico}

[esta é uma postagem especial / blogagem coletiva pelo ROTAROOTS! ]

Simplesmente amei o tema do projeto fotográfico proposto no Rotaroots em setembro, que consiste em fotografar os "ingredientes" que formam você. "Ou seja: aquilo que te inspira, o cantinho da sua casa favorito, a roupa que você mais gosta, o lugar que você mais ama, quem você ama, o que te faz feliz..."

Se eu fosse pensar na minha "fórmula secreta" (tipo a das meninas superpoderosas, haha), ela levaria algumas coisinhas que aparecem nas fotos abaixo, onde tem um pouquinho das minhas coisas favoritas e outras coisas que simplesmente fazem parte daquilo que sou. 







E você, que ingredientes existem na sua fórmula secreta ??

sexta-feira, setembro 26, 2014

Loja Endossa da Augusta / SP

No mês passado eu fiz um curso de figurino em SP e - pessoa do interior que sou - me sinto quase em outro país. Apesar do fato de vários dos meus amigos morarem por lá, é muito difícil eu poder "curtir" a cidade de verdade, porque quase sempre vou a trabalho, ou então sacolar em algum lugar específico (25 de março, Brechós, Bom Retiro) e voltar logo pro metrô cheia de sacolas, morta com farofa e querendo voltar direto para o conforto e a segurança do meu lar no interior.

Nessa minha última estadia, consegui curtir um pouco mais a cidade, visitar os amigos e ser guia pras minhas novas amigas gringas orientadoras do curso (parte de um congresso de Set Design: Figurino e Cenário) e que estavam super querendo conhecer cada cantinho da cidade. Foi muito gostoso poder turistar por SP, ir ao Anima Mundi (ok, foi só uma sessão, mas valeu demais), além de toda a delícia que foi o curso em si - que era sobre criar figurinos com roupas de segunda mão, pegar roupas contemporâneas e ficar brincando de montar silhuetas históricas ou inventadas, qualquer hora faço um post específico sobre isso.

Um dos lugares que achei que era legal para conhecer e comprar lembrancinhas foi a Endossa / Loja Colaborativa, que eu lembrava de ter comprado meu primeiro escapulário e que sabia que teria coisinhas bacanas para minhas amigas gringas. Bom, foi péssimo para o meu auto controle, porque eu surtei com cada stand da Endossa, que funciona assim: diversas lojas / expositores podem alugar um dos cubinhos para expor mercadorias, e quem faz a curadoria dos expositores acaba sendo o público.


Vários stands tem coisas baratinhas de papelaria, como caderninhos, cartões, canetas e cacarecos em geral, ótimo se você precisa levar presentinhos pra várias pessoas gastando pouco (de 5 a 10 reais por mimo, por exemplo). As bijus também são uma coisa louca - na verdade, se você é rata de lojas virtuais gringas ou do e-bay, provavelmente já viu coisas parecidas, mas é um pouco diferente quando elas estão ali, disponíveis, na sua frente - e talvez isso seja um lado ruim, porque é um perigo querer comprar todas, hehe.


Também dei uma surtadinha com os vestidos, tinha coisa internacional (o vestido de balãozinho na foto é da Asos, por exemplo), coisas artesanais e vintage, mas o que mata a gente do coração mesmo são as estampas fofas - olha essa de sapatilha. Me apaixonei por um vestido vintage rosa simples, mas de modelagem lindona, da marca Que Chuchu, que depois eu descobri que é aqui da minha cidade (!!!).

Não me aguentei, e como diz minha amiga Gabi, que "não posso ver defunto sem chorar", tive que comprar umas coisinhas ....





Aumentei a coleção de colarzinhos com este aí em formato de coração anatômico ♥ ♥ ♥  (ainda faço uma tatuagem com este motivo). E gostei muito das opções acessíveis da Meus 3 Pontos, que eu já conhecia do blog da Ana: estampas e modelagens bonitas com preço bom, ponto pra lojinha, que ficou sendo minha favorita da vez. Essa camiseta da foto custava apenas R$ 20 e tenho usado ela direto, e queria ter levado um vestido e uma saia, que ficam para a próxima - ou pela loja virtual. Também comprei os chaveirinhos de Star Wars - desses que tem uma luzinha e fazem barulho, mas não lembro mais a loja / box :p

Essa Endossa que eu fui fica na Rua Augusta 1372, mas tem uma também no Centro Cultural São Paulo, em SP, além de unidades em  Brasília e Curitiba. Se você estiver turistando por alguma destas cidades, recomendo visitar!

Atenção - Este post não é um publi-editorial. 

quarta-feira, setembro 24, 2014

{Receita} O bolinho de chocolate + cerveja da Emília

Conforme prometido, minha irmã vai dividir conosco a receita dos bolinhos / cupcakes de cerveja com chocolate, os que ela fez para o Bazar da Creyssa. Em um passado não muito distante, Emília costumava colaborar mais com o Creyssa com suas receitinhas bem bacanas, já que ela é a irmã prendada e dona de uma vasta coleção de utensílios de cozinha. Se vocês gostarem deste post, encham o saco nos comentários para que ela tome vergonha na cara e volte a ser uma colaboradora regular no blog, hehehe. E agora, nas palavras dela, com vocês, o "tal do bolinho com cerveja e bacon" \0/ 


A ideia era apresentar um cupcake “estúpido”. Explico: queria fazer um bolinho que fosse divertido, um cupcake politicamente incorreto, daí a cerveja e o bacon. Fora que a combinação me pareceu nhammm. 

Junto ao bolinho de cerveja eu levaria pro bazar uns bolinhos de maçã com açúcar mascavo, mais tradicionais, uma receita minha que sempre deu certo. Massss, os muffins de maçã explodiram no forno, ficaram feios pra chuchu e não deu pra vende-los (por engano coloquei fermento demais na massa).

Resumindo, levamos apenas os bolinhos de cerveja pra feira, e sem o enfeite de bacon, porque eu fiquei medrosa com receio de que o bolinho não fosse aceito, coitado... (nota da Anna: entretanto, existem boatos que havia um contrabando secreto de bacons .... hahaha)

Posso dizer que a cerveja escura combinou muito bem com o cacau da massa, fica de fundo, tipo uma especiaria, mas definitivamente não é um cupcake comum, não fica muito doce. É um bolinho crescidinho, para adultos, hehe.

A receita da massa foi levemente adaptada daqui, apenas acrescentei cerca de 1 colher de chá de canela e ½ colher de chá de cravo moído. Tem tudo explicadinho lindamente no link da Escola de Bolo, inclusive como fazer o bacon caramelizado da decoração.

A receita da cobertura veio de um vídeo da Chris Hedlund, que eu adaptei reduzindo a quantidade em 1/3 e colocando uma redução de cerveja tipo larger para saborizar. Como não tem uma versão por escrita da receita, aqui vai:

Buttercream de merengue de cerveja e maple
120g de claras de ovos
187g de açúcar refinado
302g de manteiga sem sal

Reduzido de cerveja:
Meia lata de cerveja tipo larger e duas colheres de sopa de maple syrup (o maple é opcional, também fica bom só com a cerveja, e você pode substituir por um pouco de açúcar mascavo ou mel). 

É só levar ao fogo todos os ingredientes, mexendo para não queimar até que reste um xarope espesso, bem concentrado. Reserve.

Modo de preparo da cobertura: misture as claras com o açúcar e leve ao banho-maria, em fogo bem baixinho, mexendo sempre até que o açúcar se dissolva, SEM FERVER, até alcançar a temperatura de +-70 graus Celsius – essa parte é a mais chatinha, recomendo ver o vídeo da Chris que explica tudo. Feito isso bata na batedeira as claras até conseguir picos altos e fofos (aqui está um belo merengue suíço!). Acrescente aos poucos a manteiga em temperatura ambiente até incorporar. Continue batendo “toda a vida”, até que fique fofinho e firme. Ao final, acrescente o reduzido de cerveja (já frio) só para misturar. Essa quantidade de cobertura deu para cobrir 12 cupcakes grandes e 9 pequeninos.
  



Gostei da definição de uma de nossas simpáticas compradoras, que definiu o cupcake como bolinho de cerveja amanteigada do Harry Poter = )

Dito isso, acho que cumpri a tarefa do bolinho divertido, e quem sabe da próxima eu crio coragem me arrisco no bacon.


domingo, setembro 21, 2014

Stop the "cuidar da vida dos outros" madness

Quase não uso maquiagem, não que eu não queira ou não goste, veja bem: se tivesse tempo, dinheiro e paciência, sairia de casa parecendo uma concorrente de RuPau'ls Drag Race, todo santo dia, podem ter certeza. Eu acho que cada um tem que fazer aquilo que sirva à sua auto-estima, que te faça sentir melhor consigo mesmo, como escolha. E acho que é exatamente o ponto que me interessa discutir dentro do lance #stopthebeautymadness. 


Não me lembro de usar maquiagem para esconder alguma coisa por muito tempo, no sentido de esconder do mundo ou disfarçar alguma característica tipicamente minha, como minhas olheiras constantes (mesmo que eu durma 14 horas), a boca e os olhos grandes demais, as sobrancelhas cheias, as marcas de sol, uma mancha no buço que eu odeio e que quanto mais make passo nela, mais evidente fica. Me lembro que no colegial, eu e algumas amigas, influenciadas por uma menina mais velha (ou só mais independente, não me lembro) e que nunca saía de casa sem chapinha, inventamos um lance que chamamos de "manhãs de beleza". Este encontro era até divertido, porque eu nunca tinha feito essas coisas antes, e era basicamente uma aula de como fazer para o mundo nos aceitar, só que não. Um dia vi uma foto dessa época, e até assustei com a minha cara branca, um batom bizarro, uma chapinha no meu cabelo cheio, uma combinação que gritava: "sou uma menina frágil buscando aceitação", socorro Jesus. Tudo bem, eu estava experimentando, até me divertindo, mas a partir do momento que aquilo deixasse de ser uma escolha minha e se tornasse uma escravidão, tinha alguma coisa muito errada. Felizmente, isso não aconteceu, continuei vivendo toda relaxada com o meu cabelão e minhas olheiras, feliz da vida.

O que não quer dizer que nunca faltou gente me dizendo o que eu deveria fazer com as minhas características irregulares, vamos dizer assim. Não posso pisar na mesma calçada de qualquer cabeleireiro que só faltam me amarrar pra fazer escova progressiva, tem sempre alguém dizendo que eu como demais e devia me exercitar mais. Até sobre a minha mania de usar pouca calça e muita saia já escutei um monte. Gente, fui criada pela minha mãe, que mal penteia o cabelo, teve três filhas mulheres e não furou a orelha de nenhuma quando pequenas, nunca pintou o cabelo, e mesmo assim, é uma das mulheres mais lindas que eu conheço - eu amo a minha mãe beijo tchau ♥ 

Claro que nós estamos o tempo todo nos pautando pela imagem que os outros fazem de nós. Não é simples quebrar este estado de coisas, estamos falando de uma cultura global com um padrão de beleza inventado e absolutamente fora do real, por isso reconheço a veracidade do desafio, mas tem que rolar uma criticidade, bonitas. Citando um post do Lugar de Mulher: "No caso do desafio da (falta de) maquiagem, pediram para as mulheres postarem suas fotos ao natural no intuito de “parar a loucura pela beleza”. Será que a loucura por beleza é algo que está apenas dentro da mulher e, portanto, é dela a prerrogativa de parar de usar a maquiagem? "

Penso que é uma coisa meio parecida com a história do "separe seu lixo", de uma responsabilidade igênua. Gente, eu não consigo não lavar meus potinho de iogurte e separar meu próprio lixo, mas não dá para pensar que "fazer minha parte" seja só isso. Tirar uma foto sem make não vai "parar a loucura da beleza", infelizmente, por mais dificil, lindo e empoderante que seja para muitas meninas, mas não pode ser só isso.

Vou citar só mais um post bacana sobre o assunto, do Milarga (cabei de conhecer, sempre te amei):
"Então parar com a loucura da beleza significa muito mais que tirar a maquiagem. Significa tirar a chibata de cima do corpo alheio. Do cabelo até o pé. Significa lembrar que a forma física de uma pessoa pertence exclusivamente a ela, independentemente da sua proximidade com ela."

Talvez eu seja privilegiada demais por poder pensar desse jeito, já que no meu convívio próximo, sou quase a pessoa que mais usa maquiagem, só porque taco uns batão vermeio com alguma constância, todo mundo é muito de boa e quase ninguém sabe o que é escova e só usa o secador para não dormir de cabelo molhado. Já citei o quanto a minha mãe cagou kilos (tomara que ela não leia isso, senão lava minha boca com sabão) para todo tipo de norma de aceitação estética durante a minha formação, então sim, talvez eu viva num mundo lindo e bolha onde as pessoas te amam pelo que você é. Mas eu ainda acho que todo mundo devia fazer qualquer coisa só porque gosta e quer muito, e não porque é um mecanismo de aceitação, mesmo que seja muito dificil diferenciar uma coisa da outra.


Postar foto sem make é fácil, quero ver as perna peluda no instagram, hehe.

[esta é uma postagem especial / blogagem coletiva pelo ROTAROOTS! ]

Talvez você também goste destes:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...